Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

DEFESA@NET: F-X2: suposta classifica�o do relat�rio final da FAB. Voc�concorda?

http://www.defesanet.com.br/blog/2010/01/f-x2-suposta-classificacao-do-relatorio

Independente da avaliação da Aeronáutica, que é e deveria ser mesmo técnica, há de prevalecer o caráter político que vai além da aquisição de 36 jatos de combate.
Ainda existe muita especulação, pois como pode o Rafale custar mais que o SuperHornet? E tão mais?
O Grippen que apareceu voando nas reportagens da tv não é o Grippen NG, que ainda está no papel, e mesmo em países mais organizados a descontinuidade, atrasos e revisão de parâmetros podem inviabilizar um projeto. Assim, sejamos claros: o NG é uma ficção. E até por isso os preços apresentados são estimativas!
O SH está na fase final de desenvolvimento de seu ciclo operacional, tanto que os EUA já têm, e bem adiantado, na prancheta, o seu substituto com caças de 5ª geração.
Além disso, devemos lembrar que os norte-americanos não são confiáveis em termos de suporte de seus equipamentos em caso de conflito de interesse - por razões óbvias. E o NG tem, na prancheta, um motor norte-americano!
O Rafale, está no início das suas possibilidades de evolução (sendo melhor que o SH), já existe (sendo melhor que o NG) e o custo ainda pode ser negociado pressionando Paris a cumprir a oferta da parceria estratégica.
Antes de mais nada, isso me parece mais uma cortina de fumaça destinada a pressionar a Dassault, no sentido de que se quer mesmo "levar" este negócio, têm que tornar mais "apetitoso" o trato.
P.S Um FX-2 com Rafale pode ser seguido em breve, e aí sim, um FX-3 com o Grippen NG: mais barato, com efetiva participação brasileira e certamente uma contribuição real dos nossos projetistas, engenheiros técnicos!
Postar um comentário