Pesquisar este blog

domingo, 24 de janeiro de 2010

O presidente Chavez entre devaneios e vida real.

Enquanto  presidente Hugo Chavez se dedica a fechar emissoras de TV que lhe fazem oposição, reiterando a intimidação aos seus adversários políticos, e expropria empresas que supostamente reagiram negativamente ao pacote econômico que desvalorizou a moeda nacional, ele apresenta-se como uma ameaça real na América do Sul, em particular, e Latina, em geral.
Em pouco mais de uma semana a segurança jurídica de propriedades privadas - nacionais e estrangeiras - foi alvo de retaliações do governo de Caracas, com o Exército militarizando casas de câmbio e entrepostos comerciais sob a alegação de que os mesmos ameaçavam as medidas econômicas tomadas pelo presidente por meio de remarcações e desabastecimentos.
Assim sendo, o governo legitimava suas ações reagindo, e não agindo, à ação de sabotagem interna e ameças à segurança nacional da revolução bolivariana, que como de hábito teria sido tramada na Casa Branca.
Hoje, Domingo, o alvo das ações estatais foram os órgãos de imprensa que insistem em denunciar as ameaças ao estado de direito, às liberdades públicas, a crise econômica, etc.
Até aqui alguma novidade?
Acho que não.  Ciclotimicamente o presidente Chavez ataca aqueles que lhe fazem oposição, com críticas pertinentes ou não, com ou sem razão de fato.
Mas o presidente Chavez revelou esta semana uma faceta que lhe dá um tom de singularidade e exotismo.
Afirmou o presidente que o terremoto no Haiti não foi um evento natural e sim um exemplo do que os EUA são capazes de fazer com uma instalação chamada de HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program, ou Programa de Investigação de Aurora Ativa de Alta Frequência).  Localizada no Alasca e financiado pela Universidade local e a Força Aérea, oficialmente destina-se a estudar fenômenos das camadas altas da atmosfera e está associado com investigações sobre microondas e auroras boreais.
A surpreendente declaração atribuiu assim, ao terremoto haitiano, o caráter de um ataque premeditado ou teste (bem ou mal sucedido dependendo do ponto-de-vista), e que fulminou mais de 100 mil pessoas.
Verdade seja dita que ele não se associou a outras teorias que relacionam tragédias colossais a experimentos do HAARP ou equivalentes, como o aquecimento global, o tsunami do final de 2007 na Ásia, o terremoto na China às vésperas da Olimpíada, etc, mas mesmo assim recolocou em evidência uma suposta - pelo menos até agora - tecnologia de armas de alta energia.
Baseadas em grande parte nos experimentos de Nicola Tesla, um sérvio cuja vida foi realmente estranha, tais armas - a existirem - integrariam as chamadas armas de energia escalar:  baseadas em eletromagnetismo seriam capazes provocar explosões de porte nuclear sem radiações, interferir em fenômenos como furacões (criando-os, direcionando-os ou destruindo-os), controlar a mente das pessoas e ainda criar barreiras de energia protetivas ou destrutivas, entre outras. Será...?
E para aqueles que duvidam, afinal sempre há quem duvide, restam perguntas tais como:
  1. Se a extinta URSS também possuía tais armas, por que foi "derrotada" pelos EUA?
  2. Se os EUA as têm, por que 2009 foi um ano particularmente ruim em termos de furacões?
  3. Se as armas escalares podem controlar a mente das pessoas, como é que alguém ainda pergunta sobre elas?
A estas e outras, utilizam-se subterfúgios do tipo: eles não querem assumir possuir tal tecnologia; eles podem direcionar os furacões mas não o fazem para não demonstrar o poder das armas escalares, e por aí vai.
Enquanto Chavez se envolve com supostas armas de energia ele até se firma como um presidente de opereta...mas quando fecha emissoras e reprime a oposição política com violências explícitas ou implícitas, infelizmente perde seu caráter farsesco de bufão.

P.S - Se quiser perder tempo dê uma olhada em http://www.caiofabio.com/2009/conteudo.asp?codigo=04037
Ali só não se explica porque os detentores destas armas perderam os conflitos em que se envolveram, como no Vietnã, Afeganistão, Iraque, etc.
Ou ainda, se gosta de visões apocalípticas www.espada.eti.br/n2155.asp
É uma viagem...



Suposto teste
com uma arma chamada "Escudo (ou Domo) de Tesla" sobre
a cidade de Atlanta em 1986.
Nada entrava ou saía da cidade e potencialmente
poderia ser usado para proteger alvos
ou aprisionar adversários como tropas ou frotas.


 Num de seus experimentos, Tesla fez um prédio balançar usando ressonância eletromagnética, além de se atribuir a outra experiência dele uma incrível devastação na Sibéria: atribuída à queda de um meteoro, em Tunguska, seria na verdade resultado do envio de um feixe eletromágnético ATRAVÉS da Terra!
Postar um comentário