Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Rússia começa a fornecer combustível para usina nuclear

Quando o Brasil, personificado pelo presidente Lula, buscou juntamente com a Turquia intermediar um acordo com o Irã, destinado a evitar a imposição de sanções contra o governo iraniano devido ao seu programa nuclear, o acordo naufragou pela decisão do Conselho de Segurança da ONU em levar adiante retaliações contra Teerã.
Naquele momento, a relativa euforia demonstrada por alguns órgãos de imprensa pelo resultado obtido - logo substituída pela condenação por nosso envolvimento na questão, levou a uma saraivada de críticas à diplomacia brasileira.
Repetíu-se ad infinitum que o Brasil estava assumindo uma posição de isolamento perante a comunidade internacional, e de quebra, que a pretensão de vir a possuir um assento permanente no CS estava praticamente sepultada por uma certa desconfiança por nossas intenções.
Mas eis que agora, aparece esta notícia, e onde estão as manifestações da mídia sobre o assunto?
Se o Brasil ficou isolado, por que a China continuou encaminhando os projetos energéticos com Teerã?  E por que a Rússia também subscreveu as sanções com uma mão e seguiu seus negócios com a outra?
O apoio aos EUA era apenas formal, e a virtual eliminação de governos e empresas ocidentais apenas garantiu que russos e chineses apareceriam como a única alternativa em relação aos iranianos, suas ambições, seus recursos e dinheiro.
Os russos vão operar o reator nuclear iraniano, fornecer o combustível, retirar os detritos e supervisionar toda a operação.
Me parece que ao final, serão os norte-americanos e seus aliados mais imediatos que ficaram, se não isolados, pelo menos no desvio!
O Brasil negociou e só ficou sozinho pois o jogo dos grandes é assim mesmo.  Força bruta, interesses pessoais acima de tudo e uma perspectiva onde o foco é o de cada um deles particularmente.
Se o Irã chegar a uma bomba A, não será pela intervenção diplomática do Brasil, e sim por que as grandes potências permitiram.
E ponto final!  O resto é fumaça.
Postar um comentário