Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

EUA agilizam inquérito de soldados que urinaram em corpos

Vídeo mostra quatro militares americanos de uniforme urinando sobre três cadáveres de insurgentes afegãos Vídeo mostra quatro militares americanos de uniforme urinando sobre três cadáveres de insurgentes afegãos (AFP)
O governo dos Estados Unidos apressou nesta sexta-feira a investigação sobre o vídeo em que quatro fuzileiros navais norte-americanos aparecem urinando sobre os corpos de integrantes do movimento radical Talibã. Divulgadas no início da semana, dois dias depois de serem colocadas na internet, as imagens provocaram fortes críticas de lideranças políticas americanas e afegãs.
O temor dos EUA é que o incidente comprometa um eventual diálogo com os talibãs, que vinham sinalizando com a possibilidade de criar um escritório político para negociações. Para evitar prejuízos políticos, os americanos anunciaram que os quatro militares que aparecem no vídeo, sorrindo e urinando sobre os cadáveres, foram todos identificados e dois deles já foram submetidos a um interrogatório. Segundo uma fonte militar, porém, eles não estão detidos.
Os quatro soldados pertencem a uma unidade de atiradores de elite do Terceiro Batalhão, do Segundo Regimento de Fuzileiros Navais, baseada em Camp Lejeune, no estado americano da Carolina do Norte. Os dois soldados interrogados continuam neste local, e a localização dos outros dois demorou um pouco mais, aparentemente porque haviam sido transferidos, informou a fonte militar.
A unidade a que eles pertencem esteve mobilizada no norte da província de Helmand, no sudoeste do Afeganistão, entre março e setembro de 2011 – período em que, "sem dúvida foram feitas as imagens", acrescentou o oficial. De acordo com a legislação das Forças Armadas americanas, os quatro envolvidos poderão ser submetidos à corte marcial por violação do código da justiça militar e da Convenção de Genebra, que estabelece que os corpos dos inimigos mortos devem ser tratados com respeito.
Os investigadores responsáveis pelo caso tentarão ainda identificar e interrogar também outras pessoas que possam estar envolvidas no incidente, inclusive quem gravou a cena, provavelmente um colega dos quatro soldados, segundo outro oficial do exército americano.
Reação – A rapidez com que o Pentágono tem investigado e informado sobre o incidente busca demonstrar que os EUA não desejam ver fracassar a tentativa de diálogo com os talibãs para resolver o conflito no Afeganistão. Na quinta-feira, o secretário da Defesa, Leon Panetta, qualificou de "lamentável" o vídeo e prometeu "uma investigação imediata e em profundidade", confiada pelo alto comando dos fuzileiros navais ao Serviço de Investigação Criminal da Marinha.
No mesmo dia, o presidente afegão, Hamid Karzai, se disse "profundamente perturbado" pela "profanação de cadáveres" que o vídeo mostra e exigiu dos Estados Unidos "o castigo mais severo" para os culpados. O momento é crítico para Washington, que necessita do aval de Karzai antes de estabelecer eventuais negociações com os talibãs.
As autoridades americanas temem que o povo afegã pressione o seu presidente a endurecer sua postura, embora por enquanto pareça que a indignação demonstrada pela televisão do país ainda não tenha afetado a população. Apesar da previsão de violentos protestos antiamericanos, a situação no país permanece calma nesta sexta-feira, dia santo para os muçulmanos

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/eua-agilizam-inquerito-sobre-soldados-que-urinaram-em-corpos
Postar um comentário