Pesquisar este blog

domingo, 15 de abril de 2012

Voz da Rússia - Contradições na defesa antimíssil


As garantias jurídicas dos Estados Unidos em relação ao desdobramento do sistema de defesa antimíssil devem ser formuladas como acordo, porque só nesta forma elas podem ser ratificadas pela Assembleia Federal, disse em entrevista à Voz da Rússia o chefe do Departamento General de Cooperação Militar Internacional do Ministério da Defesa da Rússia, Serguei Kochelev.
Todas as caraterísticas do sistema americano devem ser fixadas, para que a Rússia tenha o direito a tomar medidas de resposta no caso da sua alteração, destacou Kochelev.

Nas conversações sobre a DAM, a Rússia e os Estados Unidos voltaram a tomar um intervalo. Na véspera, o chefe do MRE russo, Serguei Lavrov, declarou que um entendimento em relação a esta questão “não se delineia”. Assim o ministro comentou os resultados do encontro com a chefe do Departamento de Estado do EUA, Hillary Clinton. Ao mesmo tempo, Lavrov ressaltou que os encontros de peritos devem continuar, por que “as consultas profissionais ajudarão a conseguir que o sistema não ameace a segurança global”.

Uma nova pausa nestas conversações difíceis não significa que é necessário riscar todo o processo, considera Serguei Kochelev. Tanto mais que foi alcançado um notável progresso:

"Na cimeira do Conselho OTAN-Rússia em Lisboa, em 2010, foi proclamada uma política de relações de parceria verdadeiras. Atualmente, já se sentem mudanças: apreendemos a ouvir uns a outros. Devemos tentar resolver o problema através das conversações. Ainda temos tempo para passar para um resposta militar, porque tais sistemas tecnicamente complexos como DAM, e tanto mais um sistema global, não se criam instantaneamente. Lembre-se que nunca falámos que a etapa inicial do desdobramento do sistema de DAM na Europa representaria uma ameaça para a Rússia. Trata-se dos próximos 7-9 anos. O principal ameaça para nós surgirá no limiar de 2018-2020 anos, quando os Estados Unidos pretendem fazer entrar em exploração os elementos de DAM que, segundo os projetistas americanos, serão capazes de intercetar mísseis balísticos intercontinentais".

A necessidade de continuar as conversações não significa que a Rússia não deve efetuar trabalhos preparativos, salienta Serguei Kochelev. Isso foi declarado anteriormente pelo presidente Dmitri Medvedev. Por outras palavras, enquanto for aperfeiçoado o sistema de defesa antimísseis, serão tomadas as respetivas decisões voltadas para manter a segurança da Rússia. Tanto mais que os Estados Unidos se renunciam até hoje a apresentar as garantias jurídicas de segurança de DAM na forma em que estas satisfaçam a Rússia, aponta o perito:

"Desde o ponto de vista da Rússia, um acordo juridicamente obrigatório deve ser ratificado pela Assembleia Federal e tornar-se uma lei russa. Naturalmente, gostaríamos de esperar que para os Estados Unidos também seja um documento de força jurídica. Mas, devido à diferença entre os nossos sistemas jurídicos, este, a meu ver, não será obrigatoriamente um acordo. Poderá ser um entendimento presidencial. Os americanos têm variantes de formato de apresentação destas garantias".

Os peritos destacam que se pode, contudo, esperar um progresso nas conversações sobre a defesa antimísseis. As fontes da OTAN depositam certas esperanças no encontro pessoal do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, com o secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, que, segundo comunicara anteriormente o chefe do Bureau de Informação da OTAN em Moscou, Robert Pshel, irá decorrer nos próximos tempos
Postar um comentário