Pesquisar este blog

sábado, 21 de julho de 2012

A Organização de Cooperação de Xangai (OCX) segue se estruturando

Organização de Xangai elabora linha tática de conduta militar

A Rússia, a China e os países da Ásia Central (Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão) acabam de elaborar uma linha tática de operações militares conjuntas contra os terroristas que se abrigam em regiões montanhosas.

 

     No Tadjiquistão foram concluídas as manobras Missão de Paz – 2012, que decorreram nos dias 8-14 de junho sob os auspícios da Organização de Cooperação de Xangai (OCX).
      Na fase ativa dos exercícios participou um contingente comum de dois mil soldados, apoiado por 500 unidades de material de guerra.
      A Rússia enviou para a zona de manobras vários destacamentos de infantaria e artilharia terrestre da base militar russa no Tadjiquistão, bem como um grupo de aviões de combate da base de Kant, no Quirguistão.
      Segundo o comando das tropas, as manobras vieram demonstrar a capacidade dos participantes de reagir e, se necessário, combater os desafios à segurança comum. Não é por acaso que, este ano, os organizadores escolheram o Tadjiquistão, país vizinho do Afeganistão, como palco de manobras antiterroristas.
      Este facto significativo foi assinalado por Denis Tiurin, vice-secretário executivo da OCX.
     "Em face da próxima retirada das forças de coligação da OTAN do Afeganistão, os observadores apontam que o principal papel no processo de manutenção da paz poderá vir a ser desempenhado pela OCX. Foi, aliás, este fator de peso a contribuir para o ingresso do Afeganistão na OCX na qualidade de observador. A situação que se cria na vertente afegã vem condicionando a escolha de missões treinadas no decurso das recentes manobras militares. O seu cenário também refletiu a probabilidade de penetração no Tadjiquistão de grupos extremistas procedentes do Afeganistão."
      Uma das tarefas preconizadas pela OCX consiste em organizar a defesa contra a ameaça do terrorismo, separatismo e extremismo. Nessa área foi possível intensificar as relações de parceria graças à adoção de um programa estratégico de combate a estes desafios, aprovado na recente cimeira de Pequim, realça Alexei Maslov, diretor do Centro de Pesquisas Estratégicas da China junto da Universidade da Amizade dos Povos.
      O tema do extremismo não deixa de preocupar praticamente todos os países vizinhos – a China, a Rússia, o Quirguistão, o Cazaquistão e o Uzbequistão. Parte do narcotráfico afegão através desta região, é ali que se refugiam vários grupos separatistas capazes de desestabilizar a situação.
      "De vez em quando são realizados exercícios militares da OTAN. Neste caso, a OCX que, ao contrário da Aliança Atlântica, não é uma instituição militar, tem de demonstrar a sua capacidade de atender aos desafios atuais. Trata-se de um elemento relevante para o posicionamento da OCX como um potente organismo regional." ressaltou Alexei Maslov, sobre a importância geopolítica das manobras.
      As manobras dos países da OCX contribuíram ainda para o reforço de cooperação militar. Os generais estão prontos para ações conjuntas de parceria a fim de garantir uma paz sólida e a estabilidade da Ásia Central, segundo opinou a emissora pública russa, Voz da Rússia.
      Do Portal Vermelho, com informações da Voz da Rússia
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=185995&id_secao=9
Postar um comentário