Pesquisar este blog

sábado, 22 de setembro de 2012

Nova empresa russa vai desenvolver míssil hipersônico



 
RIA Novosti
     O vice-primeiro-ministro da Rússia Dmitri Rogozin, em uma reunião itinerária na cidade de Tula, anunciou planos de criação de uma nova holding que se ocupará de elaboração de tecnologias hipersônicas.
     Segundo adiantou, a holding reunirá sob a sua alçada as principais entidades projetistas deste tipo de armamentos – a corporação KTPB (sigla russa) e a empresa NPOmash.
     Os primeiros trabalhos de projeção foram iniciados ainda na época de 50 do século passado. Todavia, os projetos russos e norte-americanos não teriam sido realizados.
     Na década de 90, foram efetuados lançamentos experimentais do míssil Holod (Frio) que terá alcançado a velocidade de 1.900 m/s (6.840 km/h), o que supera em 6,5 vezes a velocidade do som. No entanto, os testes foram suspensos devido à crise financeira que eclodiu em 1998, afetando seriamente o ramo de indústria militar.
     Não se sabe ao certo como iam evoluindo os planos de criação de aparelhos hipersônicos nos anos 2000-2010. Segundo informações disponíveis, na etapa presente, os trabalhos de projeção se desenvolvem em três vertentes.
     A primeira incide sobre a construção de blocos combativos de manobra para os mísseis balísticos estacionados em terra e no mar. Tais módulos, de dimensões e de peso elevados, que "se distribuem" entre alvos à custa de manobras da plataforma de separação, chamada de Ônibus, são capazes de fazer manobras aéreas. Isto exclui a possibilidade de sua intercepção por meios da DAA modernos.
     A segunda vertente se concentra à volta do complexo de mísseis anti-navio Circon, projetado pela empresa NPOmash, e munido de um míssil hipersônico. Supõe-se que o projeto esteja em vias de criação com base no míssil anti-navio  Onix-Yakhont, podendo este mesmo projeto vir a constituir uma base do míssil BrahMos.
     E a terceira vertente prevê a projeção de um complexo de mísseis por enquanto anônimo, de estacionamento aéreo, com um míssil, cuja velocidade deverá superar, em 12-13 vezes, a velocidade do som.
     A síntese destes projetos ao abrigo de uma empresa holding poderia prestar bom serviço a culminar com a criação de um míssil hipersônico de estacionamento aéreo, naval e, porventura, terrestre.
     Este tipo de trabalhos também está sendo desenvolvido nos EUA, que perseguem o objetivo de construir um sistema de armamentos convencionais de alta precisão, capaz de aniquilar alvos em qualquer ponto do globo no espaço de uma hora. Se este projeto for bem sucedido, estará em causa o atual equilíbrio das forças militares. Na Rússia, para o mesmo efeito, podem ser usados apenas os mísseis balísticos intercontinentais.
Postar um comentário