Pesquisar este blog

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Armas russas para Iraque: algazarra em torno do acordo



  
    Especialistas russos acreditam que os rumores sobre o fracasso do contrato para a compra de amas entre a Rússia e o Iraque possam ser provocados pelos EUA. Na segunda-feira na mídia ocidental apareceram publicações citando um representante do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki. Teria dito que o Iraque havia decidido rescindir o acordo para compra de armas da Rússia em valor de 4,2 bilhões de dólares, devido às preocupações sobre a corrupção.
     As informações foram desmentidas mais tarde pelo ministro da Defesa iraquiano Saadoun al-Dulaimi.
     O acordo acima mencionado foi atingido no mês de outubro durante a visita de al-Maliki a Moscou. Por 4,2 bilhões de dólares o Iraque pretendia comprar sistemas de defesa aérea Pantzir-1S, helcópteros Mi-28N, caças MiG-29M/M2 veículos blindados.
     De acordo com o jornal russo Kommersant, não o Serviço Federal para a Cooperação Técnico-Militar, nem Rosoboronexport - a empresa russa de exportação, que são os responsáveis para implementar o acordo, receberam uma notificação de rescisão do contrato. Nenhuma informação adequada foi recebida também através dos canais diplomáticos.
     As fontes do governo russo dizem que possa haver um terceiro envolvido no escândalo. "Os Estados Unidos tem feito os esforços significativos para evitar que acordo fosse concluído, disse uma fonte nos círculos do governo russo. "Eu não ficaria surpreso se eles tentassem prevenir ou complicá-lo posteriormente. Os norte-americanos não para isso têm permanecido tanto tempo no Iraque para cederem o mercado de armas à Rússia ", comentou de forma anónima outro especialista nos círculos militares e diplomáticos.
     "Está decorrendo uma luta entre diferentes grupos políticos para executar ou não executar este contrato. A liderança iraquiana está sendo fortemente pressionada por Washington, que não está interessada em que o Iraque se torne um comprador de armas russas para uma quantia tão gigantesca", disse o presidente do Conselho Público do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
     É verdade que Nouri Maliki, ordenou a abertura de uma investigação ao acordo que tinha estabelecido com a Rússia para a compra de armas e equipamento militar, mas se tratava de corrupção de funcionários iraquianos e não russos. O ministro da Defesa iraquiano Sadun al-Dulaimi assegurou que o contrato está em cumprimento, e chamou a situação de um mal-entendido, que aconteceu porque informações sobre o contrato não foram recebidas a tempo no Comité Anti-Corrupção do Iraque. Mas imprensa ocidental transformou a informação a seu favor. Moscou por sua vez pretende exigir em breve uma explicação oficial sobre o destino do contrato russo-iraquiano, pois, a concretizar-se o negócio, a Rússia passaria a ocupar o segundo lugar na lista dos principais fornecedores de armamento ao Iraque, depois dos Estados Unidos.
Lyuba Lulko
Postar um comentário