Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Mísseis russos na Síria mostram inutilidade do sistema antimíssil dos EUA


Segundo um analista, a operação militar lançada pela Rússia contra os terroristas do Estado Islâmico na Síria prejudicou os projetos de Washington para criar um escudo antimísseis no leste da Europa.
O míssil de cruzeiro Kalibr é disparado a partir da corveta ‘Grad Sviyashsk’ da frota russa do Mar Cáspio.
Os ataques dos mísseis russos SSN-30A Kalibr, de longo alcance, na Síria demostraram que os bilhões de dólares gastos pelos EUA para criar um sistema de defesa antimísseis na Europa não servem para nada, manifestou Pepe Escobar, especialista de Asia Times. Neste sentido, o Pentágono desconnecia que tais mísseis pudessem ser lançados de barcos pequenos. Os mísseis Tomahawk dos americanos, ao contrário exigem barcos muito maiores. Os mísseis Kalibr poderiam também penetrar qualquer sistema de defesa norteamericano, aponta o analista.
Esses mísseis russos sobrevoaram o Irã e o Iraque uns 1.500 km até chegar a Síria. Eles voaram a somente cem metros de altitude e a uma velocidade superior à dos drones dos EUA. especialistas nos EUA acreditavam que os citados mísseis tinham um alcance de somente 300 km.
Os elementos do escudo antimísseis norte-americano instalado no Leste da Europa se revelaram assim inúteis, aponta Escobar, que acrescenta, citando especialistas norte-americanos, que os mísseis Kalibr “mudaram as regras do jogo”.
Ele cita as declarações do comandante em chefe das forças norte-americanas na Europa, general Philip Breedlove, que afirmou também que o potencial russo de defesa aérea e antimíssil instalado na Síria, que inclui uma versão avançada do S-300, no está dirigido contra os terroristas, mas contra “outro objetivo”. A OTAN está preocupada pela incapacidade de seus programas informáticos sofisticados C4i de fazer frente às tecnologias russas na Síria e no sul da Turquia.
Os navios da frota russa do Cáspio lançaram 26 mísseis de cruzeiro Kalibr contra objetivos terroristas na Síria no passado 7 de outubro durante a operação que a Rússia desempenha desde 30 de setembro na Síria a mando das autoridades desse país. Os mísseis foram dirigidos contra centros de comando e comunicação e depósitos de armas, munições e combustível desses grupos.
A implantação do sistema antimíssil dos EUA na Europa foi justificada por Washington como um intento de proteger os seus aliados europeus de possíveis ataques com mísseis iranianos. no entanto, é um segredo descoberto que seu objetivo real são os mísseis nucleares russos. É por isso que este tema tem prejudicado as relações russo-norteamericanas.

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com
https://dinamicaglobal.wordpress.com/2015/11/01/misseis-russos-na-siria-mostram-inutilidade-do-sistema-antimissil-dos-eua/
Postar um comentário