Pesquisar este blog

sábado, 16 de outubro de 2010

Perguntar não ofende...

  1. Por que o estado mais rico da federação, governado ininteruptamente por 16 anos pelo mesmo partido político, paga um salário abaixo de Roraima para os professores e ainda diz que Educação é prioridade?
  2. Por que a proposta de se gerir a Educação por padrões de eficiência - a princípio meritória - terminou por excluir 80% dos profissionais de educação de qualquer reajuste?
  3. Por que o ex-governador e candidato à presidente fala da importância da educação, mas na hora de enfrentar as carências dos profissionais recorre ao Choque da PM como "ouvido" e bombas de gás como "argumento"?
  4. Por que semanalmente dezenas de profissionais se afastam por razões psicológicas nas salas de aula?
  5. Por que se todos concordam que a Educação é importante, o Brasil ostenta o 85º lugar nesse ítem?
É como disse a Claudia Costin, Secretária Municipal de Educação do Rio de Janeiro, "Prédio não educa, quem educa é gente"!
Por isso que enquanto a Educação não for de fato assunto sério, só serve de discurso.  Ou alguém acha que quando as famílias preferem gastar em lazer e bens de consumo e não se dispõem a fazer o mesmo na educação, elas não estão sinalizando aos políticos o que é de fato importante para elas?
Sem o indivíduo...tudo o mais é mero simulacro: computadores, salas climatizadas, metas e exigências, não se coadunam com o aluno que tem menos horas-aula, não têm material, só vai para pegar um diploma que não serve para nada ou muito pouco - afinal o que ele aprendeu? - e que não vê mesmo a educação como solução para nada.
Muito discurso e pouco giz são os problemas!
Postar um comentário