Pesquisar este blog

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

EUA admite que escudo anti-mísseis na Europa é um risco para o arsenal nuclear da Rússia.

                                               Esquema de uma defesa de mísseis básica.

     EUA admite que o escudo anti-mísseis que planeja construir na Europa pode criar riscos para o arsenal de dissuasão nuclear da Rússia, declarou o ministro russo de Assuntos Exteriores, Serguei Lavrov.
     "Segundo se concluiu das conversações com nossos colegas americanos, eles não descartam que sua defesa anti-mísseis tenha características que possam criar riscos para as forças estratégicas russas", disse Lavrov em uma rodada de imprensa.
     Os planos de Washington de criar na Europa um escudo contra possíveis ataques com mísseis balísticos é o principal obstáculo nas relações entre Rússia e EUA.
     "Os EUA insistem que seus planos não serão dirigidos contra as forças estratégicas russas, mas que o objetivo é repelir um ataque com mísseis lançado por países que não fazem parte da Europa", manifestou o ministro.
     Citou também que Washington, ao mesmo tempo, despreza as propostas de Moscow de criar conjuntamente uma defesa setorial anti-mísseis. "Neste caso se conseguiria o objetivo desejado sem criar riscos para as forças estratégicas russas", explicou Lavrov.
     Rússia e OTAN concordaram cooperar no projeto do escudo anti-mísseis na Europa durante a cúpula de Lisboa celebrada em novembro de 2010. Mas as negociações se viram estagnadas por falta de garantias jurídicas por parte dos EUA de que o escudo não iria dirigido contra o potencial estratégico da Rússia.
     O presidente russo, Dimitri Medvédev, anunciou em novembro passado medidas de caráter militar e diplomático nas quais a Rússia responderia à instalação do escudo anti-mísseis na Europa.
    Entre estas medidas destaca-se a implantação de mísseis táticos Iskander na província de Kaliningrado, enclave russo entre a Polônia e a Lituânia.

Fonte: Ria Novosti
Postar um comentário