Pesquisar este blog

domingo, 18 de março de 2012

O Irã já ofereceu até desarmar o Hezbollah e reconhecer Israel, mas Bush disse não



     Em 2003, depois de os EUA derrubarem Saddam Hussein, no Iraque, e o Taleban, no Afeganistão, o regime do Irã, através do embaixador da Suíça em Teerã, fez a seguinte proposta à administração de George W. Bush, segundo o professor Trita Parsi em seu livro “A Single Roll of Dice”, sobre a diplomacia do governo Obama
-       Fim do apoio ao Hamas e ao Jihad Islâmico e pressão para eles suspenderem os ataques a Israel
-       Desarmamento do Hezbollah, transformando o grupo libanês apenas em um partido político
-       Assinatura do Protocolo Adicional do Tratado de Não Proliferação Nuclear (nem mesmo o Brasil é signatário)
-       Liberdade de inspeções intrusivas em seu programa nuclear
-       Cooperação no combate à rede terrorista Al Qaeda
-       Apoio na estabilização do Iraque
-       Reconhecimento de Israel nas fronteiras pré-1967 e normalização das relações entre os dois países
     Em troca, o Irã queria
-       Envio de membros do Mujahedin-e Khalq, uma organização anti-Irã considerada terrorista pelos EUA (os iranianos enviariam membros da Al Qaeda em troca)
-       Fim das sanções no longo prazo (isso mesmo, não precisava ser imediatamente)
-       Direito de o Irã ter acesso a tecnologia nuclear, biológica e química para fins não militares
-       Reconhecimento dos interesses geopolíticos do Irã na região
Colin Powell, então secretário de Estado, e uma série de membros do governo Bush apoiaram o acordo. Mas prevaleceu no fim a posição do vice-presidente Dick Cheney e do então secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, que foram contra. Eles disseram que não negociam nada com o regime dos aiatolás
Depois de os EUA dizerem não,
-       o Irã elegeu o extremista Mahmoud Ahmadinejad, no lugar do reformista Mohamad Khatami
-       o Hezbollah travou uma guerra contra Israel
-       o Hamas dominou Gaza e mantém ataques de foguetes diários contra os israelenses
-       o Iraque entrou em guerra civil e milhares de americanos morreram
-       o Irã seguiu em direção das armas nucleares
-       o conflito entre israelenses e palestinos ainda não tem solução
     Honestamente, não havia uma proposta melhor do que esta iraniana. E, detalhe, esta era a oferta inicial. Os americanos poderiam barganhar
FONTE: O  Estado de São Paulo http://blogs.estadao.com.br/gustavo-chacra/o-ira-ja-ofereceu-ate-desarmar-o-hezbollah-e-reconhecer-israel-mas-bush-disse-nao/
Postar um comentário