Pesquisar este blog

sábado, 8 de setembro de 2012

EUA e OTAN interessados no Mar Cáspio por facilitar ataque ao Irã.


No início de setembro, serão realizados exercícios táticos Cazar-2012 no Mar Cáspio. O Turcomenistão está organizando pela primeira vez manobras de suas forças navais. Elas devem demonstrar a capacidade defensiva da Marinha do país.
Contra que inimigo a Marinha turcomena pretende proteger as suas fronteiras marítimas? Se um país tem fronteiras e águas territoriais, ele tem a obrigação de protegê-las contra caçadores ilegais e terroristas, sublinha o perito militar Viktor Baranets:
“As ações do Turcomenistão com vista a fortalecer a sua Marinha testemunham que ele procura garantir sua soberania nacional e proteger fiavelmente suas terras e águas.”
Como se sabe, o estatuto legal do Mar Cáspio está resolvido. Para os cinco países do Cáspio, esta questão é uma das mais difíceis. Eles tentaram várias vezes sentar-se à mesa das negociações. Mas a posição especial de alguns países, em particular do Irã e do Azerbaijão, anula todos esses esforços. E quando não há acordo, então aparece a tentação de lucrar com os recursos do subsolo mais do que se pode, enfatiza Viktor Baranets:
“Outros países, incluindo os EUA e estados da OTAN, já estão mostrando interesse no Mar Cáspio. Provavelmente, a OTAN vai tentar jogar a carta azeri, reforçar a sua frota naval, bem como a do Turcomenistão. Os americanos já ofereceram à marinha do Turcomenistão um barco de patrulha.”
Neste contexto, surge uma pergunta razoável: será que os cinco países do Mar Cáspio devem agir solidariamente quando se trata de outros países tentarem reforçar a sua presença, incluindo a militar, no mar? É claro que os países devem defender seus interesses econômicos e militares de uma maneira civilizada, enfatiza Viktor Baranets:
“Esta é a lógica óbvia da questão. Mas o fato é que esta consolidação está sendo impedida por um sexto poder, a OTAN e os EUA. A América está tentando encorajar o Azerbaijão, fornecendo-lhe armas. Ao mesmo tempo, o Turcomenistão também está recebendo alguns navios norte-americanos. Temos assim este conjunto de países em torno do Irã, o qual, como se sabe, tem um sério conflito com os EUA. Assim, reforçando as marinhas desses países, os Estados Unidos estão jogando o seu jogo global.”
Os peritos notam que, nos cálculos globais dos EUA e da OTAN, o Cáspio está começando a desempenhar um papel cada vez mais estratégico. Sabe-se que aqui há uma concentração enorme de reservas de hidrocarbonetos, comparável com as do Oriente Médio.
Fonte: http://portuguese.ruvr.ru/2012_09_03/87044388/
Postar um comentário