Pesquisar este blog

sábado, 12 de janeiro de 2013

Lançamento vertical do míssil BrahMos

BrahMos, lançamento vertical

Na manhã da quarta-feira (9), a partir de uma nave de combate da Marinha de Guerra da Índia que se encontrava no Golfo de Bengala, foi realizado com êxito lançamento do míssil de cruzeiro supersônico fabricado pela empresa conjunta russo-indiana BrahMos Aerospace. O míssil sobrevoou 290 quilômetros e, tendo efetuado “uma viragem dupla em S”, atingiu o navio alvo perfurando-o por completo a um metro de altura sobre a linha de água.

 Este foi o primeiro lançamento vertical do míssil BrahMos. O ministro da Defesa da Índia, Arackaparambil Kurien Antony, felicitou o capitão, a tripulação e a empresa produtora, exprimindo-lhes agradecimento “pela excelente demonstração do desempenho do míssil". A mídia indiana não indica o nome do navio que disparou o míssil. No entanto, vários analistas alegam que o teste do BrahMos poderia ser realizado a partir de um submarino ou uma plataforma submersa. Às provas similares programadas ainda para o fim do ano passado se referiu anteriormente o presidente da companhia russo-indiana, Sivathanu Pillai. “Se é assim na realidade, considera o diretor do Centro de análise de tecnologias e estratégias, Ruslan Pukhov, pode-se falar de enorme êxito da empresa conjunta do setor de armas defensivas”.

Continuando o tema de colaboração bilateral, o expert russo assinalou que a BrahMos Aerospace serve de modelo para outros projetos russo-indianos que se desenvolvem no âmbito de tecnologias de ponta. Os dois países passam, numa envergadura cada vez mais ampla, do intercâmbio comercial à cooperação no desenvolvimento e fabrico conjunto de armamentos. Segundo o mesmo conceito têm sido criadas empresas conjuntas que produzem a versão biplace do avião T-50 de quinta geração e ainda a fábrica de aviões de transporte médios.
O míssil BrahMos é uma arma temível. Pode ser lançado não só a partir de instalações terrestres, aviões e navios de superfície, mas também submarinos. Trata-se do míssil de cruzeiro mais rápido e mais manobrável do mundo, cuja velocidade excede em três vezes a do som. O voo se efetua a altitudes de 10 a 14 mil metros, sendo o sistema de mísseis BrahMos praticamente invisível para os meios de defesa antiaérea. Além disso, os preparativos para seu lançamento demoram apenas alguns minutos.
Segundo Sivathanu Pillai, o lançamento do míssil BrahMos desde submarino marca importante etapa no desenrolar do programa homônimo, porque após o referido teste a Marinha de Guerra da Índia poderia tomar decisão de equipar o promissor submarino convencional (ou seja, não nuclear) indiano com esses mísseis. Desenhistas e engenheiros russos estão prestes a oferecer à Índia o submarino do projeto Amur-1650. Na atualidade, o projeto russo prevê que o submarino seja dotado do sistema de mísseis Club, bem conhecido pela Marinha indiana. Neste sistema, os mísseis são lançados por meio de tubos de torpedo horizontais. Não obstante, se se levantar a questão de equipar o submarino com o sistema missilístico BrahMos de lançamento vertical, a parte russa sem demora alguma introduzirá modificações indispensáveis no projeto existente.
Postar um comentário