Pesquisar este blog

sexta-feira, 18 de março de 2011

França preparada para atacar Kadhafi em poucas horas - Globo - DN

França preparada para atacar Kadhafi em poucas horas - Globo - DN
França e Noruega foram os primeiros países a anunciar a sua participação na força militar que vai impor uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia, para proteger os civis dos bombardeamentos levados a cabo pelo regime de Muammar Kadhafi. Os franceses podem começar a operar em poucas horas, com aviões estacionados na Córsega.
A decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas prevê a criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia e que sejam tomadas "todas as medidas necessárias para proteger os civis", decisão que exclui a ocupação da Líbia, cujo regime já fechou o espaço aéreo, escreve o El Mundo.
França, Reino Unido e EUA foram os países que impulsionaram a criação da zona de exclusão aérea. Os líderes dos três países estão já a coordenar a operação e a NATO vai reunir-se hoje para discutir a situação na Líbia. Mas os franceses estão quase prontos para começar o ataque às aeronaves de Kadhafi e tanto os britânicos como os norte-americanos já tinham ordenado às suas tropas estacionadas no Mediterrâneo para se prepararem para agir.
A operação militar poderá vir a ter o apoio de vários estados árabes, como a Jordânia, Qatar e Emirados Árabes Unidos. O governo dinamarquês vai consultar o seu parlamento antes de tomar uma decisão e a Itália disponibilizou as suas bases aéreas, ainda que não queira participar nas acções militares. A Polónia ofereceu ajuda logística.
Dos 15 membros do Conselho de Segurança, apenas cinco se abstiveram: Brasil, índia, Alemanha, China e Rússia.

Rússia exclui participação em operação militar

O general Nikolai Makarov, chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, excluiu qualquer possibilidade de a Rússia participar numa operação militar contra a Líbia.
"Não, isso está excluído", declarou à agência noticiosa russa Interfax.
Depois de três dias de negociações, o Conselho de Segurança da ONU votou na quinta-feira a favor de um recurso à força contra as tropas de Kadhafi, abrindo caminho aos ataques aéreos à Líbia.
A resolução adotada pelo Conselho, com a abstenção da Rússia e da China, autoriza "todas as medidas necessárias" para proteger os civis e impor um cessar-fogo ao exército líbio.

Ataques da NATO poderão ocorrer nas próximas horas

A NATO está pronta para desferir ataques aéreos cirúrgicos no território da Líbia nas próximas horas, informa a agência russa Ria-Novosti citando fonte diplomática da Aliança.
"Na reunião de hoje do Conselho da NATO, ao nível de embaixadores, a decisão do Conselho de Segurança da NATO irá ser formalmente aprovada. Já foi realizado o respectivo planeamento para o caso e espero que a operação possa começar já nas próximas horas", precisou a fonte.
Segundo a fonte citada pela agência russa, a força aérea dos Estados Unidos, Reino Unido, França e Canadá irá desferir "ataques aéreos cirúrgicos" contra as forças do coronel Muammar Kadhafi.
O Conselho de Segurança da ONU votou, na quinta-feira, a favor de um recurso à força contra as tropas de Kadhafi, abrindo caminho aos ataques aéreos à Líbia.
A resolução adotada pelo Conselho, com a abstenção da Rússia, autoriza "todas as medidas necessárias" para proteger os civis e impor um cessar-fogo ao exército líbio.
Postar um comentário