Pesquisar este blog

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Irã aceita acordo com a AIEA para inclusão de sete novas metas em programa nuclear - Opera Mundi

O Irã concordou em firmar um acordo neste domingo (09/02) com a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica da ONU) para tomar sete novas medidas de cooperação que têm o intuito de apaziguar as preocupações internacionais a respeito do seu programa nuclear.
 Agência Efe

Embaixador iraniano da AIEA, Reza Najafi (à esq.), conversa com Tero Varjoranta (à dir.), diretor-geral do órgão, após firmar acordo em Teerã


Em conjunto com a AIEA, a OEAI (Organização de Energia Atômica do Irã) divulgou um comunicado, declarando que a república islâmica cumpriu seis compromissos requisitados no Memorando de Entendimento, assinado em novembro e com prazo para até o dia 11 de fevereiro. Agora, ambas as partes acertaram cooperar em outros sete pontos, que deverão ser efetivados antes do dia 15 de maio, assinalou o embaixador iraniano na AIEA, Reza Najafi.

Outros detalhes das novas medidas não foram divulgados até o momento, mas devem ser publicados em breve pelo diretor-geral da AIEA, Tukiya Amano, aos 35 países que participam do conselho do órgão. Contudo, o porta-voz da organização atômica iraniana, Behrouz Kamalvandi, já antecipou que, nestes novos sete pontos, não está inclusa a entrada dos inspetores da AIEA à instalação nuclear de Parchin, acesso que a organização reivindica há anos.



Transparência em Teerã
De todo modo, o novo acordo também pode representar um passo positivo para as negociações paralelas entre o Irã e o Grupo 5+1 (China, Rússia, EUA, Alemanha, França e Reino Unido) que estão previstas para acontecer novamente no dia 18 de fevereiro para tentar chegar a uma solução diplomática para a questão nuclear.

No fim de novembro, essas reuniões paralelas chegaram a um acordo em Genebra, firmando o compromisso de Teerã suspender o enriquecimento de urânio a 20% e congelar as demais atividades nucleares — em troca de um levantamento limitado das sanções internacionais. Tudo isso por um prazo de seis meses.

Há anos, a AIEA acusa o Irã de não cooperar. Frequentemente, a comunidade internacional acusa que seu programa nuclear tenha objetivo militar – o que é negado pelo governo de Teerã.

 Agência Efe

Inspetores da AIEA visitaram o Irã com frequência para verificar o cumprimento do pacto de Genebra, em novembro
Postar um comentário